VESTÍGIOS DO PASSADO EM MARAÚ




Populações indígenas do passado deixaram marcas, que podem ser vistas durante a maré baixa, sobre blocos de rocha nas areias da Praia de Maraú, na Ilha de Mosqueiro, Belém, Pará. Os arqueólogos denominam esses vestígios de polidores e afiadores fixos, que são constituídos por sulcos e depressões resultantes do processo de confecção de objetos de pedra polida, tais como lâminas de machado. Em geral, são encontrados em afloramentos rochosos próximos a cursos d’água onde há disponibilidade de areia, que era utilizada como abrasivo no processo de polimento. Além disso, podem ter sido aproveitados como moedores de grãos e sementes. No Brasil os estudos sobre os polidores e afiadores são raros e tratam de sítios arqueológicos localizados, principalmente, no litoral sul e sudeste. 


O sítio arqueológico de Marahu constitui-se no primeiro registro de polidores e afiadores do litoral amazônico brasileiro, portanto, os dados provenientes de seu estudo contribuirão para o entendimento da ocupação humana em ilhas da Amazônia. Convém mencionar que o patrimônio arqueológico é protegido pela Lei Federal nº 3924/61 e sua destruição é considerada crime. Denuncie qualquer ameaça aos sítios arqueológicos da sua região ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional/IPHAN pelo telefone (91)3224-1825 e 3224-0699 (www.iphan.gov.br). Preserve a história da Amazônia!


Texto: Maura Imazio da Silveira (doutora em arqueologia, MPEG/CNPq), Marcia Bezerra (doutora em arqueologia, UfPA/CNPq), Elisangela Regina de Oliveira (mestre em arqueologia e bolsista do MPEG/CNPq) e Fernando L. Tavares Marques (doutor em arqueologia, MPEG)

Fonte:
Imagens:

Postagens mais visitadas deste blog

Flores da Amazônia